Arquivo para Terror

A Visita!!!!!

A Visita (The Visit, 2015) conta a história de dois irmãos, Becca (Olivia DeJonge) e Tyler (Ed Oxenbould) que vão visitar os avós. A mãe deles (Kathryn Hahn) havia rompido os laços com a família há anos, mas os avós querem conhecer os netos e estes por sua vez não possuem nenhuma objeção. A filha mais velha resolve fazer da viagem um documentário sobre a família, mas coisas perturbadoras começam a acontecer.

Eu estou há semanas tentando falar sobre esse filme com vocês. Porque o diretor desse longa é M. Night Shyamalan, o mesmo que fez Sexto Sentido e A Vila, assim como uma porção de outros que não fizeram o mínimo sucesso e que acabaram destroçando aos poucos a reputação cinematográfica desse diretor. É claro que isso não influenciou em nada a minha vontade de ver A Visita e avaliá-lo.

Então o que eu posso dizer do filme? Ele me surpreendeu positivamente, porque ele mostra um terror um pouco diferente do que estamos acostumados no nosso cotidiano. Não espere que o sobrenatural paire ao longo do filme, porque isso não vai acontecer; não espere cenas assustadoras e músicas com a intenção de dar mais drama a cada cena; ou melhor, não espere nada que normalmente você espera de um terror. Shyamalan traz um longa mais maduro, com fatos plausíveis de acontecer no dia a dia e protagonistas que possuem prudência em seus atos.

Pra ser honesta, eu gostaria de fazer mais algumas considerações sobre o filme, mas eu acho que não seria justo com o leitor, já que seria spoiler. Então a única coisa que eu posso dizer é que vale a pena dar uma chance ao filme.

Gostei da atuação de todos os atores, principalmente dos que fizeram os avós, Deanna Dunagan e Peter McRobbie. O menino Ed Oxenbould também é um show a parte.

O diretor e roteirista do longa é o já falado M. Night Shyamalan, que além dos filmes ditos no segundo parágrafo, ele ainda fez Sinais, Corpo Fechado, A Dama da Água, O Último Mestre do Ar, Fim dos Tempos e Depois da Terra.

A diferença desse longa foi a presença do produtor Jason Blum e do produtor executivo Steven Schneider. Blum possui na bagagem a participação da produção de filmes como Whiplash, O Leitor, Os Infratores e Insidious. Enquanto Schneider participou da produção de Insidious e Insidiuos Chapter 2.

Resumindo, eu acho que vale a pena sim assistir a esse longa, pois eu sinto que a maré de sorte desse diretor está começando a voltar.

Nota:star_rating_fullstar_rating_fullstar_rating_fullstar_rating_emptystar_rating_empty

Desejo a todos um bom filme e muita pipoca!!!!

Obs:E se os filmes de terror fossem realistas? Huhauhauhauahuahu

O Dom da Premonição!!!!

O Dom da Premonição (The Gift, 2000) conta a história de Annie Wilson (Cate Blanchett), uma médium, que por intermédio da leitura de cartas consegue ajudar a população da pequena cidade de interior. Ocorre que, um assassinato assola a região e o espírito da vítima tenta de todas as formas mostrar a sensitiva o culpado pelo seu infeliz destino. Será que Annie conseguirá descobrir?

Eu amo assistir filmes, independente do tipo, é só providenciar uma pipoca, um refri e uns doces que eu apareço pra assistir, pode até ser filme de ação daqueles cheios de brucutus fortes matando todo mundo e até mesmo aqueles documentários estrangeiros sobre os carregadores de equipamentos do Everest. Então, quando eu ligo o Netflix, eu fico procurando incessantemente por um filme que eu ainda não tenha visto e que desperte meu interesse, ai nessas andanças eu encontrei O Dom da Premonição, que aliás eu já tinha assistido.

Esse filme é muito bom, porque ele mistura suspense e terror, tudo que eu mais gosto e tudo que eu mais temo, porque sou a pessoa mais medrosa do mundo. Vale a pena assistir, ainda mais se for no meio da noite, para dar aquele clima assustador e tal. São os pequenos detalhes e gestos, que fazem o longa interessante e ai eu não vou falar mais porque é spoiler e porque eu quero dormir hoje a noite. Então, assista e venha comentar aqui o que achou!

O elenco é de primeira, pois conta com a presença de Cate Blanchett, Giovanni Ribisi, Keanu Reeves, Hilary Swank e J. K. Simmons. Além de Katie Holmes e Greg Kinnear, que , particularmente, eu não considero bons atores.

O diretor do longa é Sam Raimi, que dirigiu a sequência de filmes do Homem-Aranha com Tobey Maguire, Arrasta-me para o Inferno e Oz: Mágico e Poderoso. No entanto, ele trabalhou como produtor no filme Poltergeist: O Fenômeno (2015), O Grito (1 e 2)e nas séries Spartacus, Xena e Hércules. Os roteiristas do longa são Billy Bob Thornton e Tom Epperson.

Resumindo, eu gosto muito desse filme, pois pra mim ele é um excelente suspense, daqueles que te prendem do início ao fim e que te deixam de cabelo em pé. Eu sou super assustada e mesmo já tendo visto esse filme algumas vezes, eu não me arriscaria a vê-lo sozinha às três horas da manhã.

Nota:star_rating_fullstar_rating_fullstar_rating_fullstar_rating_halfstar_rating_empty

Desejo a todos um excelente filme e muita pipoca!!!!!

Obs: Trailer em inglês e sem legenda.

Sobrenatural : A Origem

Sobrenatural: A Origem (Insidious: Chapter 3, 2015) conta a história de Quinn (Stefanie Scott) uma menina ainda atormentada pela morte da mãe, que ela tenta a todo custo fazer contato. No entanto, não é sua mãe que responde ao seu chamado.

Como esse filme faz parte da sequência de Insidious, eu esperava bem mais dele. Só que o longa em questão é bem fraco, possui cenas que assustam, mas mesmo assim ainda soam fracas em comparação com os outros filmes.

Talvez tenha sido a mudança de diretor que fez toda a diferença, pois o diretor dos dois filmes anteriores era James Wan, que também já dirigiu o filme Invocação do Mal, Velozes e Furiosos 7 e que dirigirá o tão esperado filme do Aquaman. O diretor que entrou no lugar de Wan foi  Leigh Whannell e parece que ele não alcançou as expectativas almejadas. Essa foi a primeira atuação de Whannel como diretor, pois a maior parte de seu trabalho foi como ator, aliás, ele atuou em todos os filmes de sequência Insidious, ele era o Specs, o cara de óculos que participa das gravações dos eventos sobrenaturais junto com a médium Elise.

A atuação de todos os atores foi bem mediana, com exceção da atriz Lin Shaye no papel de Elise Rainier, pois ela manteve o mesmo ritmo que possuía nos outros dois filmes anteriores. Ainda contamos com a presença de Dermont Mulroney, que estava bem apagado no papel de pai da menina.

Resumindo, o filme distrai, mas é bem sem graça, não vale a pena se deslocar até o cinema para assistir esse longa.

Veja o post Insidious is Insidious!

Desejo a todos um outro filme e muita pipoca!

Nota:star_rating_fullstar_rating_emptystar_rating_emptystar_rating_emptystar_rating_empty

 

Assim na Terra como no Inferno!!!!

Assim na Terra como no Inferno (As Above, So Below, 2014) conta a história de Scarlett (Perdita Weeks), uma arqueóloga que resolve liderar uma expedição as catacumbas de Paris em busca da Pedra Filosofal. No entanto, o lugar é mais misterioso do que eles imaginavam, fazendo assim com que eles tenham que encarar seus próprios demônios.

Sinceramente, esse não era o filme da vez, o que eu queria ver era Touro Indomável, que deu um Oscar a Robert De Niro, mas além de o filme ser em preto e branco, ele ainda tem mais de duas horas de duração. Meu marido quase derreteu no sofá de tanto tédio do filme (hauhauhauhaua), sendo assim, passei para o próximo da lista. (Vou ter que ver o De Niro sozinha na próxima oportunidade).

Assim na Terra como no Inferno foi um filme pouco divulgado e ficou pouco tempo no cinema, mas possui uma trama boa. A única coisa  que me incomodou um pouco foi o jogo de câmeras, que se assemelha ao filme Bruxa de Blair, ou seja, a maioria das cenas são gravadas em primeira pessoa. Cada personagem possui uma câmera independente o que deixa as cenas um pouco mais confusas e rápidas. No começo eu achei que eu iria ficar com náuseas, porque eu fico tonta com facilidade, mas o filme me surpreendeu, porque eu consegui ver até o final sem vomitar.

Os atores trabalharam bem, embora sejam bem desconhecidos, com a exceção do ator Ben Feldman, que já atuou no filme Cloverfield, nas séries The New Adventures of Old Christine, Living with Fran, Med Man, Drop Dead Diva e A to Z. Feldman pode ter um currículo vasto, mas no filme em questão sua atuação ficou bem apagada. Quem se destacou mais foi a atriz principal, ou seja, Perdita Weeks.

O diretor do longa é John Erick Dowdle, que dirigiu também os filmes Demônio e Quarentena. Eu, particularmente, não gostei de nenhum dos dois filmes, mas Assim na Terra como no Inferno tem uma dinâmica boa que me deixou bem satisfeita.

Resumindo, o filme é bom, eu fiquei assustada em algumas cenas e acho sim que valeu a pena assistir.

 

Nota:star_rating_fullstar_rating_fullstar_rating_fullstar_rating_emptystar_rating_empty

 

 

Desejo a todos um bom filme e muita pipoca!!!!

 

« Postagens Antigas