Além da Vida!

Além da vida (Hereafter, 2010) conta a história de três personagens, que por coincidências do destino acabam se encontrando. George Nolegan (Matt Damon) era um medium conhecido nos Estados Unidos, mas sempre considerou isso como uma maldição e não como um dom, resolvendo abandonar tudo para ter uma vida simples longe da fama. Marie Lelay (Cécile de France) é uma jornalista conhecida na França, mas sua vida acaba mudando por completo quando se viu no caminho de um Tsunami. Marcus (George McLaren) mora na Inglaterra e possui um irmão gêmeo e uma mãe alcoólatra que eles amam muito, mas uma fatalidade do destino faz a vida dele mudar por completo. Essas três pessoas, que não possuem muita coisa em comum, acabam se encontrando em certo ponto de seus vidas tumultuadas.

Esse longa é interessante, pois aborda a vida após a morte, mas de forma bem delicada, porque o objetivo principal não é focar nas pessoas que se foram e sim naquelas que ficaram. O filme fala do drama, da dor, dos traumas e da busca de um consolo. Independente da crença de cada um, o fato de perder alguém muito amado gera uma dor muito grande. Será que essa pessoa se foi para sempre? Ou será que realmente existe um lugar em que o espírito dela ainda vive? Essas são questões que permeiam a humanidade a milênios. É inegável que a morte é um evento triste demais, mas o seu mistério desperta uma atração e uma curiosidade muito grande.

O longa possui cenas muito marcantes como a inicial onde ocorre uma Tsunami, esse desastre traz uma sensação terrível de impotência diante da natureza. Ela mostra que nós somos pequenos em relação ao mundo e que estamos sujeitos a esses eventos que podem ocorrer quando menos esperarmos. A Tsunami é simplesmente uma cena horrível e majestosa do filme, que faz você se colocar no lugar da personagem e imaginar o que faria em determinada situação. O mais triste é pensar que desastres assim já ocorreram e que milhares de pessoas perderam suas vidas ou foram afetadas com esse trauma.

A atuação de todos os atores foi boa. Imaginar Matt Damon no papel de um medium é algo difícil, mas ele atuou bem e trouxe muita simplicidade ao seu papel. Gostei muito de George McLaren, ele é apenas uma criança e conseguiu mostrar sentimentos muito complexos até para um adulto. Eu não sei se já havia visto algum filme com a Cécile de France, mas ela com certeza despertou minha simpatia.

Para quem não sabe, o diretor desse filme é Clint Eastwood e o produtor executivo é o Steven Spielberg. Com essa dupla não tinha como algo dar errado e o longa acaba adquirindo uma leveza e uma delicadeza ao tratar de um assunto tão doloroso quanto a morte. Como consequência dessa parceria, o filme acabou ganhando o Oscar em 2011 por melhores efeitos especiais.

Eu recomendo o filme, ele não teve grande divulgação na época que saiu e dificilmente se vê passando na televisão, mas é um filme bom e emocionante. Acho que quem assiste muitos filmes, vai dizer que este é previsível, mas independente disso é uma obra bem produzida, que não deve ser desmerecida.

Desejo a todos um bom filme e muita pipoca!

Nota:star_rating_fullstar_rating_fullstar_rating_fullstar_rating_emptystar_rating_empty

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *