50 Tons de Crepúsculo

Resolvi ir com o meu marido assistir o filme “50 Tons de Cinza”, baseado no best seller homônimo de Erika Leonard James. Confesso que o primeiro e o segundo livros da trilogia seduzem de certo modo, mas o terceiro foi cansativo o suficiente para eu deixar pela metade, principalmente depois que eu descobri que a escritora se baseou na Saga Crepúsculo. Ela fez um fanfic do mesmo como uma forma de libertação, talvez querendo mostrar em seu livro toda a tensão e o conteúdo erótico que faltou na saga vampiresca.

O filme trata da relação conturbada de Anastacia Steele (Dakota Johnson) e Christian Grey (Jamie Dornan), a primeira, uma mulher inocente e virgem que se apaixona pelo segundo, homem dominador, controlador e absurdamente rico. O que envolveu alguns foi o fato do Sr. Grey apresentar um contrato para a ingênua Anastacia, que possuía em suas cláusulas uma infinidade de formas de satisfação e prazer que a menina deveria aceitar antes mesmo de se deitar com ele. Ela seria a submissa e ele o dominador.

O livro é melhor que o filme, este possui uma seleção fraca de atores, as cenas de sexo são básicas e sem grande efeito e o filme tem um corte no final que faz você sair com a sensação de querer o dinheiro de volta e uma vontade inexplicável de não ver mais nenhuma parte da sequência.

Meu marido virou pra mim e falou : ” Isso é um crepúsculo corporativo!” . Sim, o filme não foi nada mais do que isso, com cenas e falas que apenas podem ser tratadas como plágio da obra da Stephenie Meyer. Uma mistura de “Crepúsculo” com “Nove Semanas e Meia de Amor”

Resumindo, pra mim não vale a pena sair de casa para ver esse filme, não vou dizer que fiquei decepcionada porque não esperava muito dele. Deveria ter visto o Bob Esponja ou o “filme do Pelé” como diria nosso querido Chaves.

Nota: star_rating_emptystar_rating_emptystar_rating_emptystar_rating_emptystar_rating_empty

Trailer Oficial:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *