O Grande Hotel Budapeste

O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel) está entre os filmes indicados ao Oscar, concorrendo em diversas categorias como melhor diretor, melhor filme, entre outros. O filme possui uma excelente fotografia, muitas vezes parecendo uma junção de realidade com um mero cenário de teatro. O deslocamento da história ao longo do tempo é bem marcante, não trazendo qualquer dificuldade de entendimento. O enredo em si é bem simples, seria a história dentro da história, pois é um escritor contanto os fatos que lhe foram narrados por uma figura peculiar em um hotel que transborda sentimentalismo

Logo nas primeiras cenas eu pensei: “Nossa, como esse filme me lembra ‘Os Excêntricos Tenembaums’ “. Esse pensamento me ocorreu antes mesmo de me atentar para quem era o diretor. Wes Anderson, que além de ter feito o filme sobre essa família extravagante, ainda fez “A Vida Marinha com Steve Zissou”. Ao longo dos anos os diretores ganham sua própria marca, que os faz diferenciar do que é comum. Particularmente, eu percebo a originalidade de seu traço e da sua forma de apresentar os personagens, bem como o modo de envolver os espectadores, mas os filmes desse diretor não me agradam.

O que não me agrada muito nos filmes dirigidos por Wes Anderson é o modo como ele apresenta os personagens, eu acho os diálogos meio perdidos e sem sentido, embora tenham um toque trágico e cômico ao mesmo tempo. Ele acaba usando os mesmos personagens na maioria de seus filmes, o que torna todos um pouco parecidos, com uma trama surreal e cansativos. Não me entendam mal, ele foge do comum dos filmes que normalmente vemos, por isso que muitos gostam desse diretor. Eu gosto da fuga desse lugar comum, mas o humor dele ainda não conseguiu me cativar.

O filme trata de um escritor (Tom Wilkinson) que relata a história que lhe foi contada pelo dono do Grande Hotel Budapeste. O dono fala de sua história quando ainda era jovem e veio trabalhar no hotel como um simples Lobby Boy (Tony Revolori), sob o comando de M. Gustave (Ralph Fiennes). Gustave era o gerente do hotel na década de 40 e além de administrar um suntuoso lugar, ele ainda tinha a fama de cuidar das idosas ricas e carentes. Ocorre que uma das senhoras, Madame D. (Tilda Swinton), acaba morrendo e deixando uma parte da herança para o gerente. Os filhos daquela senhora, que não querem dividir a herança, o acusam de assassinato e é ai que a confusão se instaura. Em meio a essa situação a segunda grande guerra chega ao hotel, mas isso não parece trazer grandes transtornos a M. Gustave que está perdido em seus próprios problemas.

A atuação que melhor se destacou foi a de Ralph Fiennes, que se desloca pelas cenas com graça e mestria, possuindo um quê cômico em cada sentença dita. Confesso que foi a seleção de atores que me atraiu para esse filme, temos ainda Adrien Brody, Willem Dafoe, Jeff Goldblum, Harvey Keitel, Jude Law, Edward Norton, entre tantos outros, porém embora alguns tenham ficado em papéis diferentes e muitas vezes irreconhecíveis, nenhum deles se destacou como RaIph.

Um fato interessante é que o filme é baseado nas obras do escritor Stefan Zweig, que, para minha surpresa, na década de 40, mais precisamente durante a Segunda Guerra ele se exilou no Brasil, no entanto, ele veio a falecer em Petrópolis/RJ. Esse fato despertou a curiosidade sobre esse escritor. Ele possui uma casa dedicada a sua memória, então se você tiver interesse e quiser visitar, ai vai o site: http://www.casastefanzweig.org/ .

Sinceramente, eu não recomendaria esse filme, o fato dele ser um dos indicados pela Academy Awards não o transforma em um alimento para todos os gostos. Se você gosta do estilo do diretor, sinta-se a vontade para assistir, se você não se identifica com a obra dele, passe adiante. Se você nunca viu nenhum filme desse diretor, comece por aqui mesmo, pelo “Grande Hotel Budapeste”.

Nota: star_rating_fullstar_rating_fullstar_rating_emptystar_rating_emptystar_rating_empty

Trailer Oficial:

OBS: Gostaria de provar um daqueles docinhos da Mendl’s Patisserie, que aparecem vertiginosamente durante todo o filme!!! Hehehehehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *